Segunda-Sexta: 7h - 19h

FAQ

Questões frequentes – Conselhos, recomendações, informações

Abdominoplastia (Cirurgia do abdômen)

1) Quantos quilos vou emagrecer com a Dermolipectomia Abdominal? 

Sendo uma cirurgia que retira determinada quantidade de pele e gordura, evidentemente haverá uma redução no peso corporal, que varia de acordo com o volume do abdome de cada paciente. Não são, entretanto, os “quilos” retirados que definirão o resultado estético, mas sim as proporções que o abdome manterá com o restante do tronco e os membros. Paradoxalmente, os abdomes que apresentam melhores resultados estéticos são justamente aqueles em que se fazem as menores retiradas.
Assim é que a maioria das mulheres apresentam certa “flacidez” do abdome após 1 ou vários partos, com predominância de pele sobre a quantidade de gordura localizada na região. Estes casos nos permitem excelentes resultados.
Em outros casos, em que o paciente está com o peso acima do normal, o resultado também será compensatório e proporcional ao restante do corpo; entretanto, vale a pena lembrar que “excesso de gordura” em outras regiões vizinhas do abdome ainda existirá, o que nos leva a aconselhar àquelas que assim se apresentem a prosseguir com um tratamento clínico, para equilibrar as diversas partes entre si.
.
 
A cirurgia do abdome deixa cicatriz muito visível?
A cicatriz resultante de uma dermolipectomia localiza-se horizontalmente logo acima da implantação dos pelos pubianos, prolongando-se lateralmente em maior ou menor extensão, dependendo do volume do abdome a ser corrigido. Esta cicatriz é planejada para ficar escondida sob as roupas de banho (há casos, mesmo em que a própria “tanga” poderá ser usada), e infalivelmente passará por vários períodos de evolução até o amadurecimento.
 
Em quanto tempo atingirei o resultado definitivo?
Nos primeiros meses, o abdome apresenta uma insensibilidade relativa, além de estar sujeito a períodos de “inchaço”, que regride espontaneamente.
Nesta fase, poderá ficar com aspecto de “esticado” ou “plano”. Com o decorrer dos meses, tendo-se iniciado os exercícios orientados para modelagem, vai-se gradativamente atingindo o resultado definitivo. Nunca se deve considerar como definitivo qualquer resultado, antes de 6 meses de pós-operatórios.
 
É verdade que será feito um umbigo novo?
 
Não. O seu próprio umbigo será reinserido e, se necessário, remodelado. Deve-se levar em conta que, circundando o umbigo existirá uma cicatriz que sofrerá a mesma evolução da cicatriz inferior (descrita no item anterior). Pelo fato de ser uma cicatriz circular, em alguns casos a evolução poderá não ser aquela que se deseja, dando como resultado um aspecto “artificial”. Isto acontece em decorrência da anomalia na evolução cicatricial de certas pacientes, o que, entretanto, é passível de correção, mediante “retoque” sob anestesia local, após alguns meses.
 
A Dermolipectomia Abdominal corrige aquele excesso de gordura sobre a região do estômago?
 
Nem sempre. Isto depende do seu tipo de tronco (conjunto tórax + abdome). Se ele for do tipo curto, dificilmente será corrigido. Sendo do tipo longo, o resultado será mais favorável. Também tem grande importância, sob este aspecto, a espessura do panículo adiposo (espessura da gordura) que reveste o corpo.
 
Qual o tipo de maiô maillot de banho que poderei usar, após a cirurgia?
 
O tipo de maillot dependerá exclusivamente de seu próprio manequim. É claro que os decotes inferiores mais “generosos” ficarão por conta dos casos em que os resultados sejam mais naturais (tangas). Lembre-se que o bisturi do cirurgião apenas aprimora suas próprias formas, que poderão ser melhoradas ainda mais, com cuidados de uma esteticista ou fisioterapeuta.
 
Poderei ter filhos futuramente? O resultado não ficará prejudicado?
 
O seu médico ginecologista lhe dirá da conveniência ou não de nova gravidez. Quanto ao resultado, poderá ser preservado, desde que na nova gestação seu peso seja controlado por aquele especialista. Aconselhamos, entretanto, que tenha todos os filhos programados antes de se submeter a uma dermolipectomia abdominal.
 
Ouvi dizer que o pós-operatório da Dermolipectomia Abdominal é muito doloroso. É verdade?
Não. Dor leve a moderada pode ocorrer controlada por analgésicos comuns. 
Há perigo nesta operação?
Raramente a cirurgia de dermolipectomia traz sérias complicações, desde que realizada dentro de critérios técnicos. Isto se deve ao fato de se preparar convenientemente cada paciente para o ato operatório, além de ponderarmos sobre a conveniência de associação desta cirurgia simultaneamente a outras. O perigo não é maior nem menor que uma viagem de avião ou de automóvel, ou mesmo o simples atravessar de uma rua.
Que tipo de anestesia é utilizada para esta operação?
Anestesia geral, peridural ou similar.
 
Quanto tempo dura o ato cirúrgico? 
Em média 3 horas.
 
Qual o período de internação? 
De 1 a 2 dias (evolução normal).
É utilizado dreno? 
Geralmente não.
 
Quando são retirados os pontos? 
Do 7° ao 15° dia.
 
Quando poderei tomar banho completo? 
Geralmente após 2 dias.
 
Qual a evolução pós-operatória?
Não se deve esquecer que, até que se consiga atingir o resultado almejado, diversas fases são características deste tipo de cirurgia. Assim é que, no item 2, esclarecemos sobre a evolução cicatricial. No item 3 respondemos sobre a evolução da forma do abdome, bem como a sensibilidade, consistência, etc. Entretanto, poderá lhe ocorrer alguma preocupação no sentido de “desejar atingir o resultado final antes do tempo previsto”.
Seja paciente pois seu organismo se encarregará de dissipar todos os pequenos transtornos intermediários que, infalivelmente chamarão a atenção de alguma de suas amigas que não se furtará à observação: “SERÁ QUE ISTO VAI DESAPARECER MESMO?”
– É evidente que toda e qualquer preocupação de sua parte deverá ser a nós transmitida. Daremos os esclarecimentos necessários, para sua tranquilidade.

Em tempo: Em algumas pacientes, ocorre uma certa ansiedade nesta fase, decorrente do aspecto transitório (edema, insensibilidade, transição cicatricial, etc.). Isto é passageiro e geralmente reflete o desejo de se atingir o resultado final o quanto antes. Lembre-se que nenhum resultado de cirurgia do abdome deverá ser considerado como definitivo antes dos 6 aos 12 meses. Em caso de pacientes muito obesas, poderá ocorrer, após o 8o. dia, a “eliminação de razoável quantidade de líquido amarelado” por um ou mais pontos da cicatriz.

Este fenômeno é chamado de “lipólise” e nada mais é do que a liquefação da gordura residual próxima à área da cicatriz que está sendo eliminada, sem que isso venha a se constituir como complicação.

Blefaroplastia (Cirurgia das pálpebras)

Existe uma idade ideal para se operar as pálpebras?

Não existe uma idade ideal, mas sim, a oportunidade ideal. Essa oportunidade é determinada pela presença do defeito a ser corrigido e poderá ocorrer em qualquer idade.

E as cicatrizes são visíveis? Onde se localizam?
Sendo a pele das pálpebras de espessura muito fina, as cicatrizes tendem a ficar praticamente disfarçadas nos sulcos da pele. Para tanto, deve ser aguardado o período de maturação da cicatriz (seis meses). Pela sua localização são passíveis de serem disfarçadas com uma maquiagem leve, desde os primeiros dias.
Qual o tipo de anestesia?
Pela extensão da cirurgia e boa qualidade dos anestésicos, a maioria dos casos é operada sob anestesia local (em alguns casos, poderemos dar uma sedação prévia). Raramente são feitas sob anestesia geral. Reservamos esta última conduta para os casos em que clinicamente está contra-indicada a anestesia local (raros) ou mesmo, quando a blefaroplastia esteja sendo feita simultaneamente a outras cirurgias.
Há dor no pós-operatório?
Geralmente não. Mesmo que ocorra uma sensibilidade maior ou pequenos surtos de dor, estes poderão ser perfeitamente abolidos com o uso de analgésicos comuns.
Os olhos ficam muito inchados? Por quanto tempo?
O edema (inchaço) dos olhos varia de paciente para paciente. Existem aqueles (as) que já no 4º ou 5º dia apresentam-se com um aspecto bastante natural. Outros existem que irão atingir este resultado após o 8º dia ou mais. Mesmo assim, os 3 primeiros dias do pós-operatório são aqueles em que existem maior “inchaço” das pálpebras. O uso de óculos escuros poderá ser útil nesta fase, assim como a utilização de compressas frias diminui a intensidade do edema. Somente após o 3º mês é que poderemos dizer que o edema residual é discreto e não compromete o resultado final.
Qual o período de internação?
Anestesia local: até 12 horas.
Anestesia geral: de 24 horas.
Quanto tempo dura a cirurgia?
Normalmente, em torno de 90 minutos. Dependendo do caso, existem detalhes que podem prolongar este tempo. Mesmo assim, raramente ultrapassam 50 % do tempo básico previsto.
O que são as “manchas roxas” observadas em certos casos?
Nada mais são do que a infiltração do sangue na pele subjacente, e mesmo na conjuntiva ocular; são devidas ao próprio trauma cirúrgico. Isto, entretanto, não constitui qualquer problema futuro e não é considerado como complicação, mas sim, uma intercorrência transitória e reversível.
Quando atingirei o resultado definitivo?
Após o 6° mês. Entretanto, logo após o 8º dia já teremos aproximadamente 50 % do resultado almejado, sendo que nas 2 ou 3 semanas subseqüentes esse percentual tende a melhorar acentuadamente.
Os olhos ficarão ocluídos após a cirurgia?
Não obrigatoriamente. Somente recomendamos a colocação de compressas frias (água boricada) por alguns minutos, várias vezes ao dia, ato este controlado pelo(a) próprio(a) paciente, como profilaxia do edema acentuado. Alguns cirurgiões, entretanto, preferem a oclusão dos olhos no pós-operatório.
Afinal, o resultado compensa?
O paciente que está ciente do que deseja e o cirurgião puder lhe propiciar aquilo que você pediu, sem dúvida compensa. Entretanto, é importante levar em consideração o fato de que a cirurgia das pálpebras não proporciona rejuvenescimento geral à face, quando executada isoladamente. Muitas pacientes esperam este resultado (rejuvenescimento) apenas com a blefaroplastia. O cirurgião plástico apenas melhorará esse território prejudicado pelos defeitos estéticos preexistentes. O rejuvenescimento da face implica em outras condutas associadas à blefaroplastia. Os “pés de galinha”, mesmo que devidamente operados, nunca desaparecerão, ficando ainda o estigma, devido à ação do músculo orbicular e à perda da elasticidade da pele remanescente.

Dermolipectomia braquial (Cirurgia do braço)

1) A cirurgia deixa cicatriz muito visível?
A cicatriz resultante de uma dermolipectomia de braço localiza-se próxima à prega axilar (dobra da axila). Quando há grande excesso de pele também é necessária uma cicatriz vertical estendendo-se posteriormente ao braço, a qual. apresentará maior ou menos extensão dependendo do volume de pele excedente a ser corrigido.

2) Como é a evolução da cicatriz?

A cicatriz passa por diversas fazes, até chegar ao amadurecimento, quando se apresenta mais clara e menos perceptível.

a- PERÍODO IMEDIATO: Vai até o 30º dia e apresenta-se com aspecto excelente e pouco visível. Alguns casos apresentam discreta reação aos pontos ou ao curativo.

b- PERÍODO MEDIATO: Vai do 30º dia até o 6º mês. Neste período haverá espessamento natural da cicatriz, bem como mudança na tonalidade de sua cor, passando de “vermelho” para o “marrom”, que vai, aos poucos, clareando. Este período, o menos favorável da evolução cicatricial, é o que mais preocupa as pacientes.

Como não podemos apressar o processo natural da cicatrização, recomendamos às pacientes que não se preocupem, pois o período tardio se encarregará de diminuir os vestígios cicatriciais. Nessa fase é importante não tomar sol na cicatriz para esta não ficar definitivamente escura.

c- PERÍODO TARDIO: Vai do 6º ao 12º mês. Neste período, a cicatriz começa a tornar-se mais clara e menos consistente atingindo, assim, o seu aspecto definitivo. Qualquer avaliação do resultado definitivo deverá ser feita após este período.

3) A dermolipectomia de braço corrige o excesso de gordura localizada da região?
Isto depende do seu biotipo e volume de gordura localizada. Também tem grande importância, sob este aspecto, a espessura do panículo adiposo (espessura da gordura) que reveste o corpo. Dependendo do caso, poderá ser associada uma lipoescultura no local junto com a dermolipectomia ou previamente.

4) Há perigo nesta operação?
Raramente a cirurgia de dermolipectomia braquial traz sérias complicações, desde que realizada dentro de critérios técnicos. Isto se deve ao fato de se preparar convenientemente cada paciente para o ato operatório, além de ponderarmos sobre a conveniência de associação desta cirurgia simultaneamente a outras. Porém para que os riscos sejam mínimos é necessária à observação das orientações pré e pós-operatórias do cirurgião.

5) Que tipo de anestesia é utilizada para esta operação?
Geralmente a anestesia geral.

6) Quanto tempo dura o ato cirúrgico?
Em média 3 horas.

7) Terei que tomar antibióticos?
Sim, durante um período de 7 dias.

8) Qual o período de internação?
Um dia(evolução normal).

9) São utilizados curativos?
Sim. Curativos periódicos.

10) Quando são retirados os pontos?
Quando houver pontos a serem retirados, estes o serão de 7 a 15 dias.

11) Quando poderei tomar banho completo?
Geralmente 2 dias após a cirurgia.

12) Qual a evolução pós-operatória?
Você não deve se esquecer que, até que se consiga atingir o resultado almejado, diversas fases são características deste tipo de cirurgia.Entretanto, poderá lhe ocorrer alguma preocupação no sentido dedesejar atingir o resultado final antes do tempo previsto. Seja paciente, pois seu organismo se encarregará de dissipar todos os pequenos transtornos intermediários que, infalivelmente chamarão a atenção de alguma de suas amigas que não se furtará à observação: “//SERÁ QUE ISTO VAI DESAPARECER MESMO? //”- É evidente que toda e qualquer preocupação de sua parte deverá ser a nós transmitida. Daremos os esclarecimentos necessários, para sua tranqüilidade. Em tempo: Em algumas pacientes, ocorre uma certa ansiedade nesta fase, decorrente do aspecto transitório (edema, insensibilidade, transição cicatricial, etc.). Isto é passageiro e geralmente reflete o desejo de se atingir o resultado final o quanto antes. Lembre-se que nenhum resultado deverá ser considerado como definitivo antes dos 06 aos 12 meses. Em caso de pacientes obesas, poderá ocorrer, após o 8o. dia, a “eliminação de razoável quantidade de líquido amarelado” por um ou mais pontos da cicatriz. Este fenômeno é chamado de “lipólise” e nada mais é do que a liquefação da gordura residual próxima à área da cicatriz que está sendo eliminada, sem que isso venha a se constituir como complicação.

Dermolipectomia da coxa

A cirurgia deixa cicatriz muito visível?
A cicatriz resultante de uma dermolipectomia de coxa localiza-se obliquamente na prega inguinocrural (virilha), estendendo-se posteriormente até o sulco subglúteo. Apresenta maior ou menor extensão dependendo do volume de pele excedente a ser corrigido. Esta cicatriz é planejada para ficar escondida sob as roupas de banho.

a- Período imediato: Vai até o 30º dia e apresenta-se com aspecto excelente e pouco visível.

b- Período mediato: Vai do 30º dia até o 6º mês. Neste período haverá espessamento natural da cicatriz, bem como mudança na tonalidade de sua cor, passando de “vermelho” para o “marrom”, que vai, aos poucos, clareando. Este período, o menos favorável da evolução cicatricial, é o que mais preocupa as pacientes.

Como não podemos apressar o processo natural da cicatrização, recomendamos às pacientes que não se preocupem, pois o período tardio se encarregará de diminuir os vestígios cicatriciais. Nessa fase é importante não tomar sol na cicatriz para esta não ficar definitivamente escura.

c- Período Tardio: Vai do 6º ao 12º mês. Neste período, a cicatriz começa a tornar-se mais clara e menos consistente atingindo, assim, o seu aspecto definitivo. Qualquer avaliação do resultado definitivo deverá ser feita após este período.

Devido ao peso da pele da coxa, que fica causando tração sobre a cicatriz, é comum haver algum alargamento desta no decorrer da cicatrização.

Em quanto tempo atingirei o resultado definitivo?
Nos primeiros meses, a raiz da coxa apresenta uma insensibilidade relativa, além de estar sujeita a períodos de “inchaço”, que regride espontaneamente. Com o decorrer dos meses é iniciado a drenagem linfática e gradativamente se atingirá o resultado definitivo. Nunca se deve considerar como definitivo qualquer resultado antes de 06 a 12 meses de pós-operatório.

A Dermolipectomia de coxa corrige o excesso de gordura localizada da região?
Isto depende do seu biotipo e volume de gordura localizada. Também tem grande importância, sob este aspecto, a espessura do panículo adiposo (espessura da gordura) que reveste o corpo. Dependendo do caso, poderá ser associada uma lipoescultura no local, junto com a dermolipectomia ou previamente a esta.

Há perigo nesta operação?
Raramente a cirurgia de dermolipectomia de coxa traz sérias complicações, desde que realizada dentro de critérios técnicos. Isto se deve ao fato de se preparar convenientemente cada paciente para o ato operatório, além de ponderarmos sobre a conveniência de associação desta cirurgia simultaneamente a outras. Porém para que os riscos sejam mínimos é necessária a observação das orientações pré e pós-operatórias.

Que tipo de anestesia é utilizada para esta operação?
Poderá ser utilizada a peridural ou a geral.

Quanto tempo de cirurgia?
Em média 3 a 4 horas.

Terei que tomar antibióticos?
Sim, durante um período de 7 a 10 dias.

Qual o período de internação?
De 1 a 2 dias (evolução normal).

São utilizados curativos?
Sim. Curativos periódicos.

Quando são retirados os pontos?
Quando houver pontos a serem retirados, estes o serão de 7 a 15 dias.

Quando poderei tomar banho completo?
Geralmente 2 dias após a cirurgia.

Qual a evolução pós-operatória?
Você não deve se esquecer que, até que se consiga atingir o resultado almejado, diversas fases são características deste tipo de cirurgia. Entretanto, poderá lhe ocorrer alguma preocupação no sentido de “desejar atingir o resultado final antes do tempo previsto”. Seja paciente, pois seu organismo se encarregará de dissipar todos os pequenos transtornos intermediários que, infalivelmente chamarão a atenção de alguma de suas amigas que não se furtará à observação: “//SERÁ QUE ISTO VAI DESAPARECER MESMO?//”- É evidente que toda e qualquer preocupação de sua parte deverá ser a nós transmitida. Daremos os esclarecimentos necessários, para sua tranqüilidade. Em tempo: Em algumas pacientes, ocorre uma certa ansiedade nesta fase, decorrente do aspecto transitório (edema, insensibilidade, transição cicatricial, etc.). Isto é passageiro e geralmente reflete o desejo de se atingir o resultado final o quanto antes. Lembre-se que nenhum resultado deverá ser considerado como definitivo antes dos 06 aos 12 meses. Em caso de pacientes obesas, poderá ocorrer, após o 8o. dia, a “eliminação de razoável quantidade de líquido amarelado” por um ou mais pontos da cicatriz. Este fenômeno é chamado de “lipólise” e nada mais é do que a liquefação da gordura residual próxima à área da cicatriz que está sendo eliminada, sem que isso venha a se constituir como complicação.

Gluteoplastia

Gluteoplastia de aumento

A prótese de glúteo é indicada para os pacientes com nádegas pequenas ou que após emagrecimento tiveram grande redução do volume, sem que houvesse ptose importante (queda do bumbum).

É realizado através da colocação de uma prótese de gel de silicone dentro do músculo glúteo maior. A cicatriz fica escondida no sulco glúteo (prega entre as nádegas) e de difícil percepção.
É recomendável a troca periódica das próteses de glúteo para se evitar o desgaste das mesmas. Devido à crescente qualidade das próteses, estima-se que a troca deverá ser realizada em torno de 30 anos.

A anestesia utilizada pode ser a peridural ou geral.

O tempo cirúrgico médio é de 3 horas.

Lipoabdominoplastia

Quantos quilos vou emagrecer com a Dermolipectomia Abdominal? 

Sendo uma cirurgia que retira determinada quantidade de pele e gordura, evidentemente haverá uma redução no peso corporal, que varia de acordo com o volume do abdome de cada paciente. Não são, entretanto, os “quilos” retirados que definirão o resultado estético, mas sim as proporções que o abdome manterá com o restante do tronco e os membros. Paradoxalmente, os abdomes que apresentam melhores resultados estéticos são justamente aqueles em que se fazem as menores retiradas.
Assim é que a maioria das mulheres apresentam certa “flacidez” do abdome após 1 ou vários partos, com predominância de pele sobre a quantidade de gordura Localizada na região. Estes casos nos permitem excelentes resultados.
Em outros casos, em que o paciente está com o peso acima do normal, o resultado também será compensatório e proporcional ao restante do corpo; entretanto, vale a pena Lembrar que “excesso de gordura” em outras regiões vizinhas do abdome ainda existirá, o que nos Leva a aconselhar àquelas que assim se apresentem a prosseguir com um tratamento clínico, para equilibrar as diversas partes entre si.
A cirurgia do abdome deixa cicatriz muito visível? 
 
A cicatriz resultante de uma dermolipectomia Localiza-se horizontalmente Logo acima da implantação dos pelos pubianos, prolongando-se Lateralmente em maior ou menor extensão, dependendo do volume do abdome a ser corrigido. Esta cicatriz é planejada para ficar escondida sob as roupas de banho (há casos, mesmo em que a própria “tanga” poderá ser usada), e infalivelmente passará por vários períodos de evolução até o amadurecimento.
Em quanto tempo atingirei o resultado definitivo? 
 
Nos primeiros meses, o abdome apresenta uma insensibilidade relativa, além de estar sujeito a períodos de “inchaço”, que regride espontaneamente. 
Nesta fase, poderá ficar com aspecto de “esticado” ou “plano”. Com o decorrer dos meses, tendo- se iniciado os exercícios orientados para modelagem, vai-se gradativamente atingindo o resultado definitivo. Nunca se deve considerar como definitivo qualquer resultado, antes de 6 meses de pós- operatórios.
É verdade que será feito um umbigo novo? 
Não. O seu próprio umbigo será reinserido e, se necessário, remodelado. Deve-se Levar em conta que, circundando o umbigo existirá uma cicatriz que sofrerá a mesma evolução da cicatriz inferior (descrita no item anterior). Pelo fato de ser uma cicatriz circular, em alguns casos a evolução poderá não ser aquela que se deseja, dando como resultado um aspecto “artificial”. Isto acontece em decorrência da anomalia na evolução cicatricial de certas pacientes, o que, entretanto, é passível de correção, mediante “retoque” sob anestesia Local, após alguns meses
A Dermolipectomia Abdominal corrige aquele excesso de gordura sobre a região do estômago? 
 
Nem sempre. Isto depende do seu tipo de tronco (conjunto tórax + abdome). Se ele for do tipo curto, dificilmente será corrigido. Sendo do tipo Longo, o resultado será mais favorável. Também tem grande importância, sob este aspecto, a espessura do panículo adiposo (espessura da gordura) que reveste o corpo.
Qual o tipo de maillot de banho que poderei usar, após a cirurgia? 
 
O tipo de maillot dependerá exclusivamente de seu próprio manequim. É claro que os decotes inferiores mais “generosos” ficarão por conta dos casos em que os resultados sejam mais naturais (tangas). Lembre-se que o bisturi do cirurgião apenas aprimora suas próprias formas, que poderão ser melhoradas ainda mais, com cuidados de uma esteticista ou fisioterapeuta.
Poderei ter filhos futuramente? O resultado não ficará prejudicado? 
 
O seu médico ginecologista Lhe dirá da conveniência ou não de nova gravidez. Quanto ao resultado, poderá ser preservado, desde que na nova gestação seu peso seja controlado por aquele especialista. Aconselhamos, entretanto, que tenha todos os filhos programados antes de se submeter a uma dermolipectomia abdominal.
Ouvi dizer que o pós-operatório da Dermolipectomia Abdominal é muito doloroso. É verdade? 
 
Não. Dor Leve a moderada pode ocorrer controlada por analgésicos comuns.g) 
Há perigo nesta operação? 
 
Raramente a cirurgia de dermolipectomia traz sérias complicações, desde que realizada dentro de critérios técnicos. Isto se deve ao fato de se preparar convenientemente cada paciente para o ato operatório, além de ponderarmos sobre a conveniência de associação desta cirurgia simultaneamente a outras. O perigo não é maior nem menor que uma viagem de avião ou de automóvel, ou mesmo o simples atravessar de uma rua.io) Que tipo de anestesia é utilizada para esta operação? 
Anestesia geral, peridural ou similar.ii) Quanto tempo dura o ato cirúrgico? 
Em média 3 horas.12) Qual o período de internação? 
De .1 a 2 dias (evolução normal).
É utilizado dreno? 
 
Geralmente não.
 
Quando são retirados os pontos? 
 
Do 7° ao .15o dia.
Quando poderei tomar banho completo? 
 
Geralmente após 2 dias.
Qual a evolução pós-operatória? 
 
Não se deve esquecer que, até que se consiga atingir o resultado almejado, diversas fases são características deste tipo de cirurgia. Assim é que, no item 2, esclarecemos sobre a evolução cicatricial. No item 3 respondemos sobre a evolução da forma do abdome, bem como a sensibilidade, consistência, etc. Entretanto, poderá Lhe ocorrer alguma preocupação no sentido de “desejar atingir o resultado final antes do tempo previsto”.
Seja paciente pois seu organismo se encarregará de dissipar todos os pequenos transtornos intermediários que infalivelmente chamarão a atenção de alguma de suas amigas que não se furtará à observação: “//SERÁ QUE ISTO VAI DESAPARECER MESMO?//” – É evidente que toda e qualquer preocupação de sua parte deverá ser a nós transmitida. Daremos os esclarecimentos necessários, para sua tranquilidade.
Em tempo: Em algumas pacientes, ocorre uma certa ansiedade nesta fase, decorrente do aspecto transitório (edema, insensibilidade, transição cicatricial, etc.). Isto é passageiro e geralmente reflete o desejo de se atingir o resultado final o quanto antes. Lembre-se que nenhum resultado de cirurgia do abdome deverá ser considerado como definitivo antes dos 6 aos 12 meses. Em caso de pacientes muito obesas, poderá ocorrer, após o 80. dia, a “eliminação de razoável quantidade de líquido amarelado” por um ou mais pontos da cicatriz.

Lipoaspiração

Quem é um bom candidato para a Lipoaspiração?
Pacientes com gordura localizada, que estejam no peso ideal ou próximo dele, pois a lipoaspiração é feita para modelar a silhueta corporal e não para emagrecer.

Que tipo de anestesia é usada?
Depende da quantidade de gordura e extensão da área operada. Pode ser desde a local com sedação, peridural ou geral.

As cicatrizes são grandes, onde ficam?
As cicatrizes são muito pequenas, de 5 a 10mm, e são colocadas em áreas escondidas, como sob a marca do biquíni, dentro do umbigo ou no sulco mamário. Geralmente ficam de boa qualidade, sendo pouco notadas.

Quanto tempo de cirurgia?
Depende da extensão da área lipoaspirada e da quantidade de gordura a ser retirada. Pode durar desde uma até cinco horas.

Qual é o período de internação?
Pode ser de 12h ou 24h, dependendo do tamanho da cirurgia.

É necessário usar dreno?
Nas pequenas lipoaspirações não se usa o dreno. Já nas grandes podem ser usados por alguns dias (média de três a seis dias), pois nos primeiros dias há grande quantidade de secreção e a retirada desta reduz o edema (inchaço) e a equimose.

Por quanto tempo devo usar a cinta no pós-operatório?
A cinta compressiva deve ser usada por um mês e meio após a cirurgia.

O pós-operatório é muito doloroso?
O limiar de dor de cada paciente é muito variável. A sensação mais comumente referida é a de desconforto pelo inchaço e dor quando pressionada a área operada, mas facilmente tratada através de analgésicos simples que serão receitados.

Como é a recuperação pós-operatório?
O paciente sai da sala de cirurgia já com um novo perfil, porém este está obscurecido pele edema (inchaço). O edema e a equimose (roxidão) são mais intensos durante as primeiras três semanas, com resolução paulatina. Um edema residual é mantido até por volta do quarto mês.
No final do primeiro mês, quando começa a haver uma melhor absorção do edema, é comum o surgimento de áreas endurecidas e nodulações, devidas à fibrose (cicatrização interna). Essas endurações serão geralmente dissolvidas do segundo ao quarto mês. A retração da pele ocorre do terceiro ao sexto mês e sua intensidade depende da qualidade da pele.

Quando são retirados os pontos?
Os pontos são retirados dos 7 aos 14 dias pós-operatórios.

Quando se alcança o resultado definitivo?
Após o sexto mês pós-operatório, quando as cicatrizes estão maduras.

Quando poderei voltar ás atividades?
As atividades poderão ser retomadas assim que o desconforto tiver cedido. Para atividades profissionais geralmente 7 a 14 dias. As atividades físicas levam mais tempo para o retorno.

Quando poderei fazes exercícios físicos?
Depende do tamanho de cirurgia, podendo demorar de um a dois meses.

Qual o risco de complicações?
Algumas complicações possíveis são o hematoma, o seroma (acumulo se soro), a infecção, a trombose. Todas elas são raras, principalmente se a lipoaspiração tiver sido realizada por um membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. Tão importante quanto se evitar as complicações é estar em um local que tenha recursos e assistido por um médico que saiba tratá-las.

 

Mamoplastia

A cirurgia estética de aumento das mamas deixa cicatrizes?

 

Toda cirurgia deixa cicatrizes. Felizmente, esta cirurgia nos permite colocar as cicatrizes em locais disfarçados. A cicatriz costuma ser pequena e de boa qualidade, o que somado a uma localização oculta a torna bastante discreta.
 
Onde se localizam as cicatrizes?
 
Alguns cirurgiões as situam no sulco formado entre a mama e o tórax. Outros, na área da aréola, e até mesmo na axila.
 
Ouvi dizer que algumas pacientes ficam com cicatrizes muito visíveis.
 
Certas pacientes apresentam tendência à cicatrização hipertrófica ou ao quelóide. Essa tendência, entretanto, poderá ser prevista, até certo ponto, durante a consulta inicial, quando lhe fazemos uma série de perguntas sobre sua vida clínica pregressa, bem como a análise das características familiares, que muito nos ajudam quanto ao prognóstico das cicatrizes. Geralmente, pessoas de pele clara tendem menos a esta complicação cicatricial; pessoas de pele morena ou orientais têmmaior predisposição ao quelóide ou à cicatriz hipertrófica. Isto, entretanto, não é uma regra absoluta. A análise dos antecedentes, como já o dissemos, nos facilitará o prognóstico cicatricial.
 
Existe correção para as cicatrizes hipertróficas?
 
Vários recursos clínicos e cirúrgicos nos permitem melhorar cicatrizes inestéticas, na época adequada. Não se deve confundir, entretanto, com as características do período inicial da cicatrização. Qualquer dúvida a respeito da sua evolução cicatricial deverá ser esclarecida conosco e nunca com terceiros que, como você, “também estão apreensivos quanto ao resultado final”.
 
Como ficarão minhas novas mamas, em relação ao tamanho e consistência?
 
As mamas podem ter seu volume aumentado através da cirurgia. Além disso, almejamos melhorar sua consistência e forma com a intervenção cirúrgica. Assim é que, neste caso, pode-se escolher o novo volume, pois dispomos de vários tamanhos de peças de silicone a serem introduzidas. Existe uma harmonia entre o volume ideal das mamas e o tamanho do tórax, característica esta que deve ser preservada no planejamento da cirurgia.
 
Em quanto tempo atingirei o resultado definitivo?
 
Apesar do resultado imediato ser muito bom (70%), somente no período tardio é que as mamas atingirão sua forma definitiva ( após 6 meses).
 
No caso de nova gravidez, o resultado permanecerá ou ficará prejudicado?
 
Durante a gravidez a mama aumenta, reduzindo após a lactação. Isto leva à distensão da pele, que poderá não retornar ao normal após a lactação. Caso isso aconteça poderá ocorrer uma ptose (queda) da mama.
 
A prótese de mama interfere na amamentação?
 
Não. Tanto a prótese colocada submuscular, quanto a submamária ficam situadas abaixo da glândula, não interferindo de nenhuma forma no crescimento mamário durante a gravidez e na amamentação.
 
O pós-operatório desta cirurgia é doloroso?
 
Geralmente não, desde que você obedeça às instruções médicas, principalmente no que tange à movimentação dos braços, nos primeiros dias. Eventualmente poderá ocorrer manifestação dolorosa, que facilmente cederá com os analgésicos receitados.
 
Há perigo nesta operação?
 
Raramente a cirurgia plástica mamária sofre complicações sérias. Isto se deve ao fato de se preparar devidamente cada paciente, além de ponderarmos sobre a conveniência de associação desta cirurgia, simultaneamente a outras. O perigo não é maior ou menor que viajar de avião, automóvel, ou atravessar uma via pública.
 
Qual o tipo da anestesia utilizada?
 
Anestesia local com sedação ou geral. Depende do caso.
 
Quanto tempo dura o ato cirúrgico?
 
Em média de 90 a 120 minutos.
 
Qual o período de internação?
 
Em média 12 horas.
 
Quando são retirados os pontos?
 
Geralmente são utilizados pontos que são retirados até o décimo dia pós-operatório.
 
São usados drenos?
 
Drenos de aspiração podem ser usados para evitar o acúmulo de secreção ao redor da prótese. Geralmente são retirados entre 24 e 48 horas depois da cirurgia.
 
Quando poderei tomar banho completo?
 
Geralmente após dois dias ou depois de tirar o dreno.
 
Quando poderei retornar a minha ginástica?
 
Geralmente após 60 dias, com exercícios progressivos.
 
O que é retração da cápsula?
 
É uma retração exagerada da cápsula fibrosa do organismo (que se forma em torno da prótese), que determina certo grau de endurecimento à região, quando palpada. Certo percentual de casos poderá estar sujeito à tal retração; entretanto, se isto ocorrer em grau acentuado, as próteses poderão e deverão ser retiradas, através das mesmas cicatrizes, em ato cirúrgico simples, sob anestesia local. Cirurgião e paciente, poderão ponderar sobre a conveniência ou não da reintrodução de próteses menores ou outra conduta que melhor se adapte ao caso, no mesmo ato ou em tempo posterior. A retração da cápsula nunca reflete imperícia do cirurgião, mas sim, um comportamento anômalo do organismo das pacientes que a apresentam. Sua ocorrência gira em torno de 5% dos casos.

Mamoplastia de aumento

A cirurgia estética de aumento das mamas deixa cicatrizes?
Toda cirurgia deixa cicatrizes. Felizmente, esta cirurgia nos permite colocar as cicatrizes em locais disfarçados. A cicatriz costuma ser pequena e de boa qualidade, o que somado a uma localização oculta a torna bastante discreta.

Onde se localizam as cicatrizes?
Alguns cirurgiões as situam no sulco formado entre a mama e o tórax. Outros, na área da aréola, e até mesmo na axila.

Ouvi dizer que algumas pacientes ficam com cicatrizes muito visíveis.
Certas pacientes apresentam tendência à cicatrização hipertrófica ou ao quelóide. Essa tendência, entretanto, poderá ser prevista, até certo ponto, durante a consulta inicial, quando lhe fazemos uma série de perguntas sobre sua vida clínica pregressa, bem como a análise das características familiares, que muito nos ajudam quanto ao prognóstico das cicatrizes. Geralmente, pessoas de pele clara tendem menos a esta complicação cicatricial; pessoas de pele morena ou orientais têm maior predisposição ao quelóide ou à cicatriz hipertrófica. Isto, entretanto, não é uma regra absoluta. A análise dos antecedentes, como já o dissemos, nos facilitará o prognóstico cicatricial.

Existe correção para as cicatrizes hipertróficas?
Vários recursos clínicos e cirúrgicos nos permitem melhorar cicatrizes inestéticas, na época adequada. Não se deve confundir, entretanto, com as características do período inicial da cicatrização. Qualquer dúvida a respeito da sua evolução cicatricial deverá ser esclarecida conosco e nunca com terceiros que, como você, “também estão apreensivos quanto ao resultado final”.

Como ficarão minhas novas mamas, em relação ao tamanho e consistência?
As mamas podem ter seu volume aumentado através da cirurgia. Além disso, almejamos melhorar sua consistência e forma com a intervenção cirúrgica. Assim é que, neste caso, pode-se escolher o novo volume, pois dispomos de vários tamanhos de peças de silicone a serem introduzidas. Existe uma harmonia entre o volume ideal das mamas e o tamanho do tórax, característica esta que deve ser preservada no planejamento da cirurgia.

Em quanto tempo atingirei o resultado definitivo?
Apesar do resultado imediato ser muito bom (70%), somente no período tardio é que as mamas atingirão sua forma definitiva ( após 6 meses).

No caso de nova gravidez, o resultado permanecerá ou ficará prejudicado?
Durante a gravidez a mama aumenta, reduzindo após a lactação. Isto leva à distensão da pele, que poderá não retornar ao normal após a lactação. Caso isso aconteça poderá ocorrer uma ptose (queda) da mama.

A prótese de mama interfere na amamentação?
Não. Tanto a prótese colocada submuscular, quanto a submamária ficam situadas abaixo da glândula, não interferindo de nenhuma forma no crescimento mamário durante a gravidez e na amamentação.

O pós-operatório desta cirúrgica é doloroso?
Geralmente não, desde que você obedeça às instruções médicas, principalmente no que tange à movimentação dos braços, nos primeiros dias. Eventualmente poderá ocorrer manifestação dolorosa, que facilmente cederá com os analgésicos receitados.

Há perigo nesta operação?
Raramente a cirurgia plástica mamária sofre complicações sérias. Isto se deve ao fato de se preparar devidamente cada paciente, além de ponderarmos sobre a conveniência de associação desta cirurgia, simultaneamente a outras. O perigo não é maior ou menor que viajar de avião, automóvel, ou atravessar uma via pública.

Qual o tipo da anestesia utilizada?
Anestesia local com sedação ou geral. Depende do caso.

Quanto tempo dura o ato cirúrgico?
Em média de 90 a 120 minutos.

Qual o período de internação?
Em média 12 horas.

Quando são retirados os pontos?
Geralmente são utilizados pontos que são retirados até o décimo dia pós-operatório.

São usados drenos?
Drenos de aspiração podem ser usados para evitar o acúmulo de secreção ao redor da prótese. Geralmente são retirados entre 24 e 48 horas depois da cirurgia.

Quando poderei tomar banho completo?
Geralmente após dois dias ou depois de tirar o dreno.

Quando poderei retornar a minha ginástica?
Geralmente após 60 dias, com exercícios progressivos.

O que é retração da cápsula?
É uma retração exagerada da cápsula fibrosa do organismo (que se forma em torno da prótese), que determina certo grau de endurecimento à região, quando palpada. Certo percentual de casos poderá estar sujeito à tal retração; entretanto, se isto ocorrer em grau acentuado, as próteses poderão e deverão ser retiradas, através das mesmas cicatrizes, em ato cirúrgico simples, sob anestesia local. Cirurgião e paciente, poderão ponderar sobre a conveniência ou não da reintrodução de próteses menores ou outra conduta que melhor se adapte ao caso, no mesmo ato ou em tempo posterior. A retração da cápsula nunca reflete imperícia do cirurgião, mas sim, um comportamento anômalo do organismo das pacientes que a apresentam. Sua ocorrência gira em torno de 5% dos casos.

Mamoplastia redutora

A cirurgia estética das mamas deixa cicatrizes?
Toda cirurgia plástica deixa cicatrizes, porém as cicatrizes ficam situadas em áreas não expostas. No caso da Mamoplastia, a cicatriz dependerá do tipo de mama e quantidade de tecido a ser retirado. Desta forma, a cicatriz pode ser em “T”. “L”, “I” ou periareolar.

Ouvi dizer que algumas pacientes ficam com cicatrizes muito visíveis. por que isso acontece?
Certas pacientes apresentam tendência à cicatrização hipertrófica ou ao quelóide. Esta tendência, entretanto, poderá ser prevista, até certo ponto, durante a consulta inicial, quando lhe fazemos uma série de perguntas sobre sua vida clínica pregressa, bem como características familiares, que muito ajudam quanto ao prognóstico das cicatrizes. Pessoas de pele clara têm menor probabilidade de sofrer desta complicação.

Existe correção para cicatrizes hipertróflcas?
Vários recursos clínicos e cirúrgicos nos permitem melhorar cicatrizes inestéticas, na época adequada. Não se deve confundir, entretanto, o “período mediato” da cicatrização normal (do 30º dia até o 6º mês) como sendo uma complicação cicatricial. Qualquer dúvida a respeito da sua evolução deverá ser esclarecida conosco e nunca com terceiros que, como você, “também estão apreensivos quanto ao resultado final”.

Como ficarão minhas novas mamas, em relação ao tamanho e consistência?
As mamas podem ter seu volume reduzido através da cirurgia; além disso, sua consistência e forma também são melhoradas com uma intervenção. Assim é que, para os casos de redução de volume e levantamento de sua posição, podemos optar por vários volumes, dentro das possibilidades que a mama original nos permita planejar, sem comprometê-la futuramente. Aqui, como no caso do aumento do volume, deverão ser equilibradas as proporções entre o volume da nova mama e o tamanho do tórax da paciente a fim de obtermos maior harmonia estética. Nessa ocasião a flacidez e a forma da mama original são corrigidas; entretanto, “as novas mamas” passam por vários períodos evolutivos:

a) Período imediato: Vai até o 30º dia. Neste período, apesar das mamas apresentarem-se com seu aspecto bem melhorado, sua forma ainda está aquém do resultado planejado, pois, até que se atinja a forma definitiva, surgem “pequenos defeitos” aparentes iniciais (inevitáveis em todos os casos), que tendem a desaparecer com o decorrer do tempo. Lembre-se desta observação: Geralmente nenhuma mama fica “perfeita” no pós-operatório imediato.

b) Período mediato:Vai do 30º dia até o 6º mês. Neste período, a mama começa a apresentar uma evolução que tende à forma definitiva.

Não são raros neste período uma certa insensibilidade ou hipersensibilidade do mamilo, além de maior ou menor grau de “inchaço” das mamas; além disso, sua forma está aquém da definitiva. Apesar de certa euforia da maioria das pacientes, já neste período, o resultado ficará melhor ainda, pois isto será a característica do 3º período (tardio).

c) Período tardio:Vai do 6º ao 18º mês. É o período em que a mama atinge seu aspecto definitivo (cicatriz, forma, consistência, volume, sensibilidade). É neste período que costumamos fotografar os casos operados, afim de compará-los com o aspecto pré-operatório de cada paciente. Tem grande importância, no resultado final, o grau de elasticidade da pele das mamas bem como o volume conseguido. O equilíbrio entre ambos varia de caso para caso.

Em quanto tempo atingirei o resultado definitivo?
Apesar do resultado imediato ser muito bom, somente entre o 6o e 12º mês é que as mamas atingirão sua forma definitiva (vide item anterior).

No caso de nova gravidez, o resultado permanecerá ou ficará prejudicado?
Durante a gravidez a mama aumenta, reduzindo após a lactação. Isto leva à distensão da pele, que poderá não retornar ao normal após a lactação. Caso isso aconteça haverá uma ptose (queda) da mama. A lactação geralmente não fica prejudicada, podendo ser afetada apenas em casos de grandes reduções (gigantomastias).

O pós-operatório da cirurgia mamária é doloroso?
Em geral não, desde que você obedeça às instruções médicas, principalmente no que tange à movimentação dos braços, esforços e demais cuidados nos primeiros dias.

Há perigo nesta operação?
Raramente a cirurgia plástica mamária sofre complicações sérias. Isto se deve ao fato de se preparar devidamente cada paciente, além de ponderarmos sobre a conveniência de associação desta cirurgia, simultaneamente a outras. O perigo não é maior ou menor que viajar de avião, automóvel, ou atravessar uma via pública.

Qual o tipo de anestesia utilizada?
Anestesia geral ou local com sedação assistida, em casos muito especiais, a critério do cirurgião.

Quanto tempo dura o ato cirúrgico?
Dependendo de cada tipo de mama, a média é de três horas.

Qual o período de internação?
Geralmente 24 horas.

São utilizados curativos?
Sim. Curativos modelantes. São trocados periodicamente.

Quando são retirados os pontos?
São retirados em torno do sétimo ao décimo quinto dia, sem maiores incômodos.

Quando tomarei banho completo?
Geralmente após dois de pós-operatório.

Qual a evolução pós-operatória?
Você não deve esquecer que, até que se atinja o resultado almejado, as mamas passarão por diversas fases. Se lhe ocorrer a preocupação no sentido de “desejar atingir o resultado definitivo antes do tempo previsto”, não faça disso motivo de sofrimento: tenha a devida paciência, pois, seu organismo se encarregará espontaneamente de dissipar todos os transtornos imediatos que, infalivelmente chamarão a atenção de alguma amiga, que não se furtará a observação: “será que isso vai desaparecer mesmo?” . É evidente que toda e qualquer preocupação de sua parte deverá ser a nós transmitida. Para sua tranqüilidade, daremos os esclarecimentos necessários ou nos empenharemos para que se atinja o resultado almejado.

Quando poderei retornar a minha ginástica?
Geralmente após 60 dias.

 

 

Mentoplastia

Onde se localizam as cicatrizes?
Em casos de inclusão de próteses de silicone, poderá ser feita uma cicatriz interna (dentro da boca) ou mediante uma pequena incisão na parte inferior do queixo. Ficará a critério de cada cirurgião plástico a indicação da cicatriz. Em caso de enxertia de gordura ( indicada em restritos casos ), não existirá cicatriz.

Qual o tipo de anestesia?
Se se tratar de correção exclusivamente do mento, a anestesia é a local (com ou sem sedação , dependendo do caso). Se associada a outras cirurgias, o cirurgião ponderará quanto à conveniência de se realizar o ato cirúrgico sob anestesia local ou geral.

Como é a peça de silicone que será introduzida?
O cirurgião geralmente modela a peça ou se utiliza de peças pré-moldadas (existem vários tamanhos ), que poderão ser apresentadas ao (à) paciente durante as entrevistas pré-operatórias.

O silicone é perigoso? não poderá ocasionar câncer?
Há mais de 35 anos vem sendo empregado o silicone na forma sólida, em todo o mundo, com milhares de pacientes operados, sem que se tenha assinalado a presença de ação cancerígena deste produto. Trata-se de substância inerte ao organismo e que se mantém em seu lugar de introdução, dentro de uma cápsula fibrosa que o próprio organismo se encarrega de elaborar, logo nos primeiros dias.
Raros são os casos de eliminação da peça. Quando isto acontece (geralmente devido a problemas no pós-operatório imediato por infecção, traumatismo sobre a área operada, hemorragia, etc.), retira-se a peça mediante simples cirurgia sob anestesia local, sem ficar qualquer seqüela. Posteriormente poderá ser reintroduzida nova peça.

Há dor no pós-operatório?
Geralmente não. Mesmo que ocorra uma discreta dor, poderemos neutralizá-la com o uso de analgésicos comuns.

E os curativos?
Costuma-se fazer um tipo de curativo local com finalidade de ajudar a manter a prótese imobilizada. Além do mais, este curativo serve de proteção aos eventuais traumatismos que possam ocorrer nos primeiros dias.

Quantos dias deverei ficar de repouso?
Dependendo da atividade, apenas 1 dia. Casos especiais poderão determinar cuidados relativos por 8 a 10 dias, sem contudo necessitar-se de repouso absoluto.

Qual o maior cuidado que se deve tomar antes da operação?
Informar-nos quanto à intercorrência de algum dente inferior infeccionado ou inflamado. Caso ocorra esta eventualidade, solicite de seu dentista que a trate, antes mesmo de procurar-nos para a cirurgia de mentoplastia.

Minha fisionomia mudará muito com esta cirurgia?
Não deverão ocorrer grandes alterações fisionômicas. Apenas haverá um melhor equilíbrio de sua fisionomia, mantendo suas características individuais.

Esta cirurgia poderá ser associada à rinoplastia?
Em muitos casos o próprio cirurgião recomenda a associação das duas cirurgias, visando um melhor equilíbrio estético da face. A isto denominamos “perfiloplastia”.

Otoplastia (Cirurgia para correção da orelha em abano)

A cirurgia da orelha em abano deixa cicatrizes?
Toda cirurgia plástica deixa cicatriz. A cicatriz desta cirurgia é imperceptível, por localizar-se atrás da orelha, no sulco formado por esta e o crânio. Além do mais, como se trata de região de pele muito fina, a própria cicatriz tende a ficar “quase inaparente”.

Qual o tipo de anestesia?
Crianças: anestesia geral.
Adultos: anestesia local com sedação assistida ou a critério.

Qual o período de internação?
Anestesia geral: 24 horas.
Anestesia local: 8-12 horas.

Quanto tempo demora o ato cirúrgico?
Geralmente em torno de 90 minutos (bilateral), ou 45 minutos (unilateral).

Há perigo nesta operação?
O perigo não é maior ou menor que aquele de se viajar de automóvel, avião ou mesmo o simples atravessar de uma rua.

Há dor no pós-operatório?
Geralmente não. Quando houver a intercorrência de dor, poderemos combatê-la com analgésicos comuns.

Como é o curativo?
Faz-se a proteção da cicatriz com curativos pequenos. Protege-se a orelha (principalmente em crianças), nos primeiros dias, com uma espécie de touca, a fim de evitar traumatismos locais. Casos existem em que se envolve a orelha com fina película gessada, que é mantida por 2 semanas.

Quando são retirados os pontos? Há dor?
Em torno do 15° dia. Não existe dor na retirada.

Em quanto tempo se atingirá o resultado definitivo?
Assim que se retira o curativo já teremos em torno de 80 % do resultado almejado, porém haverá edema e equimose (inchaço e roxidão). Após seis meses é que se alcança o resultado definitivo, pois esse é o tempo do amadurecimento da cicatriz.

Não há o risco de “voltar o problema do abano” após a cirurgia?
Desde que devidamente conduzida a cirurgia e seguidos os cuidados pós-operatórios o risco de recidiva é pequeno. Convém salientar que uma leve assimetria sempre ficará, pois, mesmo as pessoas não operadas e que tenham orelhas normais, não apresentam simetria absoluta.

Reconstrução mamária com o músculo grande dorsal

O que é reconstrução mamária com o músculo grande dorsal?
A cirurgia consiste em rodar um retalho de músculo e pele das costas para reconstruir a mama do mesmo lado. Associada, na maioria das vezes, ao uso de uma prótese de silicone para dar volume e simetria com a outra mama.

As mamas ficarão iguais e com sensibilidade após a cirurgia?
A cirurgia vem sofrendo grande avanço na sua execução. Quando nos propomos a reconstruí-la, temos em mente empenharmos ao máximo para fazermos a semelhança da mama sadia. Às vezes, não é possível, porque a paciente possui alguma restrição técnica do retalho ou da mama sadia. A sensibilidade da mama reconstruída fica parcialmente comprometida.

Quem se submeteu à radioterapia e/ou quimioterapia poderá fazer reconstrução mamária?
Sim. O retalho do músculo grande dorsal poderá ser irradiado após a cirurgia (Reconstrução imediata) ou poderemos reconstruí-la em local onde a região foi previamente irradiada. A quimioterapia não traz nenhum problema para a reconstrução mamária. Fazemos apenas uma ressalva para que os dados hematimétricos (exames de sangue) estejam normais.

Que tipo de cicatriz eu terei com a técnica do músculo grande dorsal?
A cicatriz é nas costas do mesmo lado onde há a ausência da mama (mastectomia) e fica posicionada abaixo do osso da escápula onde tentaremos deixá-la debaixo da marca do soutien. O tamanho da cicatriz dependerá do tamanho do retalho para reconstruir a mama à semelhança da mama sadia. Quando transportamos o retalho para confecção da mama usamos a mesma cicatriz da mastectomia.

Como ficarão o mamilo e a aréola desta nova mama. Poderão ser reconstruídos?
Sim.Esperamos 03 meses após a reconstrução da mama para confecção da aréola e mamilo. A reconstrução aréolo mamilar poderá ser feita por tatuagem, por tecido do próprio corpo ou tecido da mama sadia. Esta decisão deverá ser tomada em conjunto com o seu médico o cirurgião.

Existe algum risco nesta cirurgia?
Raramente a cirurgia de reconstrução mamária do Grande Dorsal traz sérias complicações, desde que realizada dentro dos critérios técnicos e a paciente devidamente preparada. Nestas condições o risco é pequeno.

O pós-operatório é muito doloroso?
Não. É esperado dor leve a moderada controlada com analgésico de rotina. O que mais incomoda são os drenos que ficam em média por 03 dias.

Nesta cirurgia será utilizada a prótese de silicone?
Sim. A cirurgia com o retalho do Grande Dorsal não possui tecido suficiente para confeccionar uma mama igual a mama sadia. Desta forma, é usado, na maioria das vezes, uma prótese de silicone de forma e tamanho semelhante para tornar as mamas simétricas.

O que é retração capsular?
É uma cicatriz que envolve a prótese deformando e endurecendo a mama reconstruída. Certo percentual de casos poderá estar sujeito à tal retração. O seu tratamento envolve retirada da prótese e reintrodução de outra compatível a cada caso. A retração capsular nunca reflete imperícia do cirurgião, mas sim um comportamento do organismo das pacientes que a apresentam.

Quantos dias ficarei internada?
Aproximadamente de 03 a 05 dias. No pós-operatório imediato a paciente sai do bloco cirúrgico com dreno nas costas e na mama reconstruída.

Que tipo de anestesia é utilizada?
A anestesia de eleição é a geral.

Quanto tempo dura o ato cirúrgico?
Em média 04 horas.

Quando serão retirados os pontos?
Em torno  do 14° dia.

 

Reconstrução mamária com o músculo reto abdominal

Quantos quilos vou emagrecer com a reconstrução mamária com o músculo reto abdominal (tram)?
Sendo uma cirurgia que transpõe determinada quantidade de pele e gordura de um lugar para outro, evidentemente não haverá uma redução significativa no peso corporal.

A cirurgia deixa cicatriz muito visível no abdome?
A cicatriz resultante localiza-se horizontalmente logo acima da implantação dos pêlos pubianos, prolongando-se lateralmente em maior ou menor extensão, dependendo do volume do abdome a ser corrigido. Esta cicatriz é planejada para ficar escondida sob as roupas de banho (há casos, mesmo em que a própria “tanga” poderá ser usada), e infalivelmente passará por vários períodos de evolução, como se segue:

a- Período imediato: Vai até o 30º dia e apresenta-se com aspecto excelente e pouco visível. Alguns casos apresentam discreta reação aos pontos ou ao curativo.

b- Período mediato. Vai do 30º dia até o 6º mês. Neste período haverá espessamento natural da cicatriz, bem como mudança na tonalidade de sua cor, passando de “vermelho” para o “marrom”, que vai, aos poucos, clareando. Este período, o menos favorável da evolução cicatricial, é o que mais preocupa as pacientes.

Como não podemos apressar o processo natural da cicatrização, recomendamos às pacientes que não se preocupem, pois o período tardio se encarregará de diminuir os vestígios cicatriciais.

c- Período tardio:
 Vai do 6º ao 12º mês. Neste período, a cicatriz começa a tornar-se mais clara e menos consistente atingindo, assim, o seu aspecto definitivo. Qualquer avaliação do resultado definitivo deverá ser feita após este período.

Em quanto tempo atingirei o resultado definitivo?
Na resposta anterior fizemos algumas ponderações sobre a evolução da cicatriz. Resta-nos ainda acrescentar algumas observações sobre o novo abdome, no que tange à sua consistência, sensibilidade, volume, etc.

Nos primeiros meses, o abdome apresenta uma insensibilidade relativa, além de estar sujeito a períodos de “inchaço”, que regride espontaneamente.

Nesta fase, poderá ficar com aspecto de “esticado” ou “plano”. Com o decorrer dos meses, tendo-se iniciado os exercícios orientados para modelagem, vai-se gradativamente atingindo o resultado definitivo. Nunca se deve considerar como definitivo qualquer resultado, antes de 12 a 18 meses de pós-operatórios.

A mama passará pelas mesmas fases da cicatrização. Sua sensibilidade nunca será igual `a de uma mama normal mas haverá certa sensibilidade que progride da periferia para o centro da mama reconstruída.

É verdade que será feito um umbigo novo?
Não. O seu próprio umbigo será transplantado e, se necessário, remodelado. Deve-se levar em conta que, circundando o umbigo existirá uma cicatriz que sofrerá a mesma evolução da cicatriz inferior (descrita no item anterior). Pelo fato de ser uma cicatriz circular, em alguns casos a evolução poderá não ser aquela que se deseja, dando como resultado um aspecto “artificial”. Isto acontece em decorrência da anomalia na evolução cicatricial de certas pacientes, o que, entretanto, é passível de correção, mediante “retoque” sob anestesia local, após alguns meses.

Ouvi dizer que o pós-operatório é muito doloroso. É verdade?
Uma cirurgia (TRAM) de evolução normal pode apresentar dor moderada, porém suportada com o uso das medicações analgésicas.

Há perigo nesta operação?
Raramente a cirurgia de reconstrução mamária com o TRAM traz sérias complicações, desde que realizada dentro de critérios técnicos. Isto se deve ao fato de se preparar convenientemente cada paciente para o ato operatório. Os riscos são inerentes a uma cirurgia de grande porte mas são contornáveis na maioria dos casos. Estes incluem problemas de hematomas, infecções, sofrimento da pele do retalho (perda de parte do retalho), problemas tromboembólicos, entre outros. Felizmente são raros no dia a dia deste tipo de cirurgia.

7) Que tipo de anestesia é utilizada para esta operação?
Anestesia geral. No terceiro tempo poderá ser utilizada a local com sedação.

8) Quando são retirados os pontos?
Entre o 7º e o 15º dias.

 

Reconstrução Mamária com o uso de Expansor

O que é a cirurgia de Reconstrução Mamária com expansor?
A cirurgia consiste em colocarmos um “balão” abaixo do músculo na região onde será reconstruída a nova mama. Este balão (prótese expansora) será cheio colocando soro fisiológico semanalmente, e com o passar do tempo criará um espaço para colocação de prótese de silicone definitiva. Durante este processo de expansão, comparamos as mamas para torná-las o mais parecido possível. Este tipo de reconstrução é feito em dois tempos:
1° tempo — colocação do expansor
2º tempo – colocação da prótese definitiva

As minhas mamas ficarão iguais e com sensibilidade após a cirurgia?
Esta cirurgia quando é feita no mesmo tempo cirúrgico da mastectomia (retirada da mama) permite uma maior sensibilidade na área de reconstrução, o que não acontece quando a reconstrução é feita tardiamente. Com os novos avanços da forma da prótese de silicone (em forma natural ou em gota), temos tido uma resposta muito satisfatória e aceitação por parte das pacientes. Salientamos que nossa preocupação é tornarmos as mamas o mais parecido possível (forma, tamanho e projeção do cone mamário).

Ouvi dizer que o silicone poderá ser prejudicial para minha doença?
No ano de 1993 houve uma dúvida com relação ao silicone nos EUA, levantando a suspeita de que o silicone poderia causar ou favorecer o aparecimento do câncer de mama. Nenhuns destas afirmativas foram confirmados. No Brasil, a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica fez um levantamento junto com os colegas e com os oncologistas para se saber se realmente havia confirmado esta suspeita. Depois de muita discussão, chegou-se a conclusão que a afirmativa não era verdadeira e o silicone passou a ser usado inclusive nos EUA.

Quem se submeteu a radioterapia e/ou a quimioterapia poderá fazer esta cirurgia?
A Quimioterapia não traz nenhum problema para a reconstrução com expansor. Chamamos a atenção para os dados hematimétricos (exames de sangue) estejam normais. A radioterapia é uma contra-indicação relativa para a reconstrução com o expansor  porque a pele irradiada perde sua elasticidade. Esta técnica tem suas indicações precisas, que deve ser conversado com seu médico.

Que tipo de cicatriz eu terei na mama reconstruída?
A cicatriz quem vai determiná-la é o Mastologista. Nos casos de reconstrução tardia a cicatriz é a mesma da mastectomia. Nas reconstruções imediatas temos mais opções, porém, deverá seguir técnicas para retirada da doença com margem de segurança. Normalmente a cicatriz é oblíqua, acompanhando o desenho do músculo peitoral. Para melhor esclarecê-la sobre a evolução cicatricial, vamos relatar os diversos períodos pelos quais as cicatrizes passarão:

a) Período imediato: Vai até o 30º dia e apresenta-se com aspecto pouco visível. Alguns casos apresentam uma discreta reação aos pontos ou curativo.

b) Período mediato: Vai do 30º dia até o 12º mês. Nesse período há o espessamento natural da cicatriz, bem como inicia-se uma mudança de cor da mesma passando para mais escuro que vai, aos poucos, clareando. Este período é o que mais preocupa às pacientes. Como não podemos apressar o processo natural da cicatrização, recomendamos às pacientes que não se preocupem, pois, o período tardio se encarregará de diminuir os vestígios cicatriciais.

c)Período tardio: Vai do 12° mês ao 18º mês. Neste período, a cicatriz começa a tornar-se mais clara e menos consistente, atingindo assim, o seu aspecto definitivo. Qualquer avaliação do resultado definitivo da cirurgia, no tocante à cicatriz, deverá ser feita após este período.

Ouvi dizer que algumas pacientes ficam com cicatrizes muito visíveis.
Certas pacientes apresentam tendência à cicatrização hipertrófica (grossa) ou ao quelóide. Essa suspeita, entretanto, poderá ser prevista, até certo ponto, durante a consulta inicial, quando lhe fazemos uma série de perguntas sobre sua vida clínica passada, bem como a análise das características familiares, que muito nos ajudam quanto à suspeita das cicatrizes hipertróficas. Geralmente, pessoas de pele clara possuem menor tendência a esta complicação. Isto, entretanto, não é uma regra absoluta. A análise dos antecedentes, como já dissemos, nos facilitará o prognóstico cicatricial.

Como ficarão minhas novas mamas em relação ao tamanho e consistência?
Nós podemos aumentar ou diminuir o volume da mama através da cirurgia para termos uma semelhança com a mama sadia. Além disso, pretendemos melhorar sua consistência e forma com a cirurgia. Assim é que, neste caso, pode-se escolher o novo volume, pois dispomos de vários tamanhos de peça de silicone, o que facilita a obtenção da maior semelhança das mamas. A intenção inicial é mantermos a mama sadia como referência de forma e tamanho para a reconstrução, e só em último caso fazer uma intervenção.

O que acontecerá após a colocação do expansor?
A colocação do expansor é a primeira etapa da reconstrução. Após a retirada dos pontos começamos a expansão da mama semanalmente. Colocando 10% do volume total em cada sessão, ou seja, se o volume do expansor for de 500 mL, teremos 10 sessões de expansão de 50 mL cada. Durante este período comparamos o tamanho das duas mamas para sabermos o volume que necessitaremos. Após o período total de expansão, marcamos a segunda etapa que é a colocação da prótese definitiva.

Há disponível, atualmente, expansores (chamados expansores permanentes) que não precisam ser trocados por uma prótese de silicone, dispensando uma nova cirurgia para essa troca.

Como ficará o mamilo e a auréola desta nova mama. Poderão ser reconstruídos?
Sim. Após a reconstrução da mama normalmente esperamos cerca de 04 meses para fazer a aréola e o mamilo. Esta etapa poderá ser feita em regime ambulatorial, ou seja, não há necessidade de internação. Esta reconstrução do Complexo Auréolo Mamilar poderá ser feita por tatuagem, por tecido do próprio corpo ou tecido da mama sadia. Esta decisão deverá ser tomada em conjunto com seu médico.

Existe algum risco nesta cirurgia?
Raramente a cirurgia de reconstrução mamária com expansor traz sérias complicações, desde que realizada dentro dos critérios técnicos. Isto se deve ao fato de se preparar convenientemente cada paciente para o ato cirúrgico, além de avaliarmos a necessidade de fazermos juntos esta cirurgia com a mastectomia. O perigo não é maior do que uma viagem de avião.

 

Rinoplastia

A cirurgia estética do nariz deixa cicatrizes? 

 
Praticamente não existem cicatrizes aparentes na cirurgia estética do nariz. Isto porque as incisões (cortes) são feitas “dentro do nariz” ou nos sulcos; consequentemente deixam vestígios inaparentes. Em casos especiais, quando as asas nasais são tratadas, existem duas pequenas cicatrizes nos sulcos entre as asas e a face que, com o passar das semanas, tornam-se praticamente imperceptíveis. Em outros casos, uma cicatriz imperceptível é colocada na “coLumela” (parte inferior do nariz).
 
Poderei escolher, para o meu futuro nariz, a forma que eu desejar? 
 
Não. Existe um equilíbrio estético entre o nariz e a face, equilíbrio este que o cirurgião deve observar, a fim de preservar a naturalidade e autenticidade dessa face. Cada caso é estudado minuciosamente, a fim de que se possa dar ao nariz a melhor forma possível, dentro das exigências da face. Outra Limitação que existe é o próprio tipo de tecido que o nariz apresenta: p. ex: um nariz de pele grossa jamais poderá se tornar tão fino e delicado como outro de pele fina
 
O resultado definitivo da “nova forma” é imediato? 
 
Não. Várias fases são características do pós-operatório do nariz. Assim é que, numa Ia fase (Logo após a retirada do gesso em torno o 7° dia), apesar de corrigidos vários defeitos estéticos do nariz original, notamos um edema (inchaço) que vai diminuindo com o passar dos dias e que tende a desaparecer totalmente em torno do 6o mês. Existem pacientes que atingem o resultado definitivo um pouco antes, bem como outros que raramente ultrapassam este período. A persistência ou não do edema transitório por um período mais Longo que o normal geralmente não interfere no resultado final.
 
Como ficará minha respiração após a cirurgia? 
 
A Rinoplastia estética visa, também, melhorar as condições respiratórias do paciente, quando estas condições são precárias no nariz original. Apesar de haver alguma dificuldade no pós-operatório imediato (algumas semanas) isto se deve ao fato do edema também existir na parte interna do nariz, assim como o movimento de “válvula respiratória” fica prejudicado nesse período, por alteração da elasticidade das asas. Com o decorrer do tempo tende a normalizar-se. Problemas respiratórios geralmente são Ligados ao septo que, em muitos casos, é corrigido no mesmo tempo cirúrgico.
 
Por quanto tempo persiste o resultado obtido? 
 
O resultado de uma Rinoplastia é praticamente definitivo. Apenas se deve ressaltar que após a 5a década de vida, qualquer nariz começa a apresentar alterações morfológicas, devido à transformação da qualidade da pele que o reveste.
 
Qual o tipo de anestesia que se utiliza para a operação?
 
Tanto a anestesia Local com sedação quanto a geral podem ser utilizadas dependendo do caso.
 
Quanto tempo demora o ato cirúrgico? 
 
Geralmente de 90 a 120 minutos.
 
Qual o tempo de internação? 
 
Doze horas para as cirurgias realizadas sob anestesia Local e sedação. Vinte e quatro horas, para anestesia geral.
 
São utilizados curativos? quantos? 
 
Após terminar a cirurgia, o nariz é mantido imobilizado com gesso, que o recobre totalmente. Esse gesso permanece por cerca de 7 a 10 dias, período após o qual é retirado no consultório. Poderá ou não ser utilizado o tamponamento nasal (com gases vaselinadas), que é deixado por 24 a 48 horas. O gesso é importantes para a Ia fase da modelagem do nariz.
 
Ouvi dizer que o nariz “sangra” nos primeiros dias. Isto é verdade? 
 
Existe um pequeno sangramento através do tamponamento de gaze, que é normal nas primeiras 48 horas. Isto, entretanto, não deverá ser motivo de preocupação, pois um curativo de proteção, sobreposto à abertura do nariz, é conservado propositadamente, a fim de aparar esse sangramento. Esse curativo adicional poderá ser trocado em casa, tantas vezes quanto necessário.
 
Há dor no pós-operatório? 
 
Geralmente Leve e controlada com analgésicos comuns.
 
Há perigo nesta operação? 
 
Raramente uma cirurgia de rinoplastia determina sérias complicações. Isto se deve ao fato de se preparar convenientemente cada paciente para o ato operatório, além de ponderarmos sobre a conveniência de associação desta cirurgia simultaneamente a outras. O perigo não é maior ou menor que uma viagem de avião ou automóvel, ou mesmo um simples atravessar de via publica.
 
Em que posição deverei dormir, nos primeiros dias? 
 
Sempre com a cabeça discretamente elevada do Leito (travesseiro). Manter-se com a face voltada para cima (nunca Lateralmente) para não encostar o nariz no travesseiro.
 
Quando poderei tomar sol? 
 
Para exposições Longas (praias, banhos de sol), aconselha-se aguardar um período mínimo de 90 dias.
 
Qual a evolução pós-operatória?
 
Você não deve se esquecer que, até que se atinja o resultado almejado, diversas fases evolutivas são características deste tipo de cirurgia. Assim é que edema (inchaço), “manchas” de infiltrado sanguíneo, dificuldade respiratória nos primeiros dias, são comuns a todos pacientes evidentemente, alguns apresentam estes fenômenos com menor intensidade que outros.
Esperamos que você esteja neste grupo. Caso não esteja, não se preocupe. Dê tempo, que seu organismo se encarregará de dissipar todos os pequenos transtornos que chamarão a atenção e alguma pessoa estranha que não lhe poupará a pergunta:”… algo de errado não estará acontecendo?”. É evidente que toda e qualquer preocupação de sua parte deverá ser transmitida a nossa equipe.
 
Para finalizar: o resultado da cirurgia estética do nariz compensa?
 
Evidentemente. Dentre as cirurgias estéticas, a do nariz é uma das que proporcionam grandes satisfações. Lembre-se no que lhe foi dito anteriormente: cada caso é analisado individualmente na Ia consulta, ocasião em que Lhe são esclarecidos todos os detalhes aqui relatados, bem como aqueles que por Lapso tenham sido olvidados. Desde que nos decidamos mutuamente a realizar a cirurgia (médico e paciente), é porque o resultado compensa. Caso contrário, seremos os primeiros a recusar a operação. Esta despretensiosa mensagem foi elaborada com intuito de informá-lo (a) a respeito da Rinoplastia estética. Teremos imenso prazer em esclarecer detalhadamente quaisquer outras dúvidas.
 

Ritidoplastia (Cirurgia do rejuvenescimento facial)

Quantos anos vou rejuvenescer?
Não é possível, através da cirurgia, transformar uma face de 40 anos em outra de 20. Apesar disto parecer óbvio, fazemos questão de frizá-lo, pois certas informações errôneas são transmitidas por leigos, fazendo alguns pacientes acreditarem na possibilidade de se fazer “o relógio do tempo” ser retardado conforme sua vontade. Podemos confidenciar-lhe que nenhum cirurgião plástico logrará este intento. O que a cirurgia pode proporcionar é a correção de defeitos que o envelhecimento propiciou, como retirada do excesso de pele e suspensão das estruturas da face, o que acaba por levar à um rejuvenescimento.

Como ficarão as cicatrizes? Desaparecerão?
A cirurgia plástica visa melhorar o aspecto da flacidez, rugas, sulcos, etc., dando assim um rejuvenescimento à face. As cicatrizes, entretanto, serão permanentes, apesar de irem se tornando cada vez menos visíveis com o decorrer do tempo. Enquanto isto não ocorre, recursos cosméticos como a maquiagem e penteados adequados disfarçam perfeitamente o inconveniente criado pelas cicatrizes recentes. Além disso, cada paciente comporta-se diferentemente de outro (a), em relação à evolução das cicatrizes, podendo, mesmo, em certos casos, tornar-se praticamente inaparente. Apesar desta advertência prévia, muitos (as) pacientes costumam olvidar-se dos detalhes que são transmitidos durante a consulta inicial e passam a preocupar-se especificamente com a presença das cicatrizes, no período pós-operatório imediato e mediato. Esperamos que você não seja um (a) deles (as) e tenha sempre em seu poder este folheto de instruções. Pruridos (coceiras), ardor ou insensibilidade poderá ocorrer eventualmente sobre as cicatrizes. Isto será temporário e tenderá a desaparecer.

Por quanto tempo persiste o resultado?
A cirurgia da face, pescoço e pálpebras rejuvenescem visualmente esses territórios. “Ela retarda, mas não interrompe o processo evolutivo do organismo”. O paciente continuará envelhecendo com o tempo, porém a partir de um visual mais jovem.

Há risco nesta operação?
Raramente a cirurgia de rejuvenescimento faial determina sérias complicações. Entretanto, sendo um procedimento cirúrgico, ocasionalmente poderão ocorrer imprevistos na evolução como hematoma, cicatriz hipertrófica ou quelóide (por predisposição do paciente), necrose (mais comum em fumantes), infecção.

As fotografias pré e pós-operatórias são importantes?
Evidentemente; a única maneira de se avaliar o resultado obtido é a comparação entre as fotografias pré e pós-operatórias, realizadas sob condições fotográficas idênticas nesses 2 períodos. Elas valem como documento.

Que tipo de anestesia é utilizada para a operação?
Tanto a anestesia geral quanto a local com sedação são utilizadas. Dependendo do seu caso, tomaremos a liberdade de sugerir-lhe a mais conveniente. O resultado final será o mesmo.

Quanto tempo demora o ato cirúrgico?
Depende muito da cirurgia (se incluirá pálpebras, fronte, pescoço) e da técnica usada. Pode demorar de 2 horas a até 6 horas. Sendo um procedimento cirúrgico, o tempo absoluto deixa de ter importância, pois, certos casos demandam maior desgaste de tempo em certas fases da cirurgia. O que importa é o resultado obtido e não o tempo de cirurgia.

Qual o tempo de internação?
Doze horas para as cirurgias realizadas sob anestesia local e sedação. Vinte e quatro horas para aquelas realizadas sob anestesia geral.

São utilizados curativos?
Sim. Geralmente são utilizados curativos tipo “capacete”. O grande curativo é retirado em torno das primeiras 24 horas, podendo ficar apenas um curativo leve sobre as cicatrizes residuais, após esse período.

Os olhos ficam ocluídos no pós-operatório?
Em geral não. Apenas recomendamos a aplicação de compressa de algodão embebido em água fria sobre os olhos, ou conduta similar, que podem ser removidas conforme o paciente o deseje. Isto diminui a intensidade do edema (inchaço) pós-operatório sobre os olhos.

Há dor no pós-operatório?
Geralmente leve. Ocasionalmente um ou outro caso poderá apresentar discreta dor, que poderá ser perfeitamente controlada com analgésico comum.

Quando são retirados os pontos?
A maioria dos pontos das pálpebras é removida após 72 horas. Os remanescentes (face, pescoço, couro cabeludo), entre 5 e 15 dias.

Quando poderá ser utilizada maquilagem?
Para as pálpebras, 3 dias após a retirada dos pontos. Na face, em torno do 10° dia.

Quando poderão ser lavados e penteados os cabelos?
Entre o segundo e o sétimo dia pós-operatório poderão ser lavados e penteados os cabelos (com certo cuidado). Para secá-los utiliza-se secador manual com ar discretamente aquecido. As tinturas somente deverão ser utilizadas após a 3ª semana.

O “corte de cabelo” preparatório para a cirurgia é muito extenso? poderá ser disfarçado no pós-operatório?
Os cabelos são cortados somente naquelas áreas onde se planeja localizar as cicatrizes. No pós-operatório imediato, este inconveniente poderá ser perfeitamente disfarçado, com penteado adequado.

Qual a evolução pós-operatória?
Você não deve se esquecer que, até que se consiga atingir o resultado almejado, diversas fases evolutivas são características deste tipo de cirurgia. Assim é que edemas (inchaço), “manchas” de infiltrado sanguíneo, hipersensibilidade de algumas áreas, insensibilidade de outras, são comuns a todos os pacientes; evidentemente, alguns pacientes apresentarão estes fenômenos com menor intensidade que outros. Esperamos que você esteja neste grupo. Caso não esteja, não se preocupe. Dê tempo ao tempo, que o seu organismo se encarregará de dissipar todos estes pequenos transtornos que, infalivelmente, chamarão a atenção de alguma pessoa estranha, que não se furtará à observação: “Houve alguma complicação? Será que isto vai desaparecer?” É evidente que toda e qualquer preocupação de sua parte deverá ser a nós transmitida. Daremos esclarecimentos necessários para sua tranqüilidade.

Em tempo: Um curto período de “depressão emocional” poderá ocorrer nos primeiros dias, devido ao aspecto transitório. Isto é passageiro e geralmente advém da “ansiedade em ser atingir o resultado final o quanto antes”. Tenha paciência. Lembre-se que nenhum resultado de cirurgia estética da face deverá ser avaliado antes dos 3 meses pós-operatórios. O resultado final só é alcançado após 6 meses.

O resultado da cirurgia de rejuvenescimento compensa?
Cada caso é analisado individualmente, durante a 1ª consulta. Algumas pacientes procuram, com esta cirurgia, ficar “mais bonitas”. Este não é o objetivo fundamental da cirurgia; seu objetivo primordial é o rejuvenescimento. Nessa ocasião, deveremos esclarecer sobre todos os detalhes aqui relatados, bem como aqueles eventualmente esquecidos. Desde que nos decidamos mutuamente a realizar a cirurgia (médico e paciente) é porque o resultado compensa. Caso contrário, seremos os primeiros a recusar a cirurgia.

Transplante Capilar (Cirurgia da Calvície)

O método combate à queda de cabelo?
Não. O método não é um tratamento clínico e sim cirúrgico, consequentemente ele não combate à queda do cabelo e sim restabelece as áreas glabras instaladas.

Qualquer paciente poderá fazer a cirurgia da calvície?
Instalada a calvície o método do implante de cabelo fio à fio é eficiente para qualquer sexo, idade e cor.

Qual região da cabeça é retirado o enxerto?
A calvície se instala na parte mediana da cabeça onde estes cabelos são atrofiados e morrem, a partir de uma certa faixa etária, variando de paciente a paciente. As partes laterais e a região posterior não sofrem este fenômeno, por esta razão são as áreas doadoras ideais e seguras para a técnica do microtransplante capilar.

Quantas sessões serão necessárias?
Dependendo da extensão da calvície fazemos uma programação no mínimo de 1 à 3 sessões em intervalos de 4 ou 6 meses.

Em que consiste a técnica?
Consiste na retirada de um fuso de couro cabeludo retirado da parte mais baixa e lateral da cabeça. Este fuso de cabelo é transformado em micro enxerto de um, dois ou três folículos pilosos que são distribuídos de maneira distintas na área da calvície. O fio de cabelo é implantado com a sua raiz sendo necessário 3 meses para o início do seu crescimento.

Qual tipo de anestesia?
O microtransplante é um procedimento que pode ser feito com anestesia local com sedação ou geral, dependendo do estado emocional do paciente. É um processo relativamente simples para o cliente. Não há necessidade de ficar hospitalizado, mas realiza-se um ambiente cirúrgico numa clínica especializada de cirurgia plástica, mesmo se tratando de um procedimento simples.

Onde se localizam as cicatrizes?
Na área receptora não existem cicatrizes aparentes e sim incisões puntiformes, que serão preenchidos pelos enxertos. Na área doadora a cicatriz fica coberta pelos cabelos na parte lateral da cabeça.

E os curativos?
O paciente sai do Bloco Cirúrgico sem qualquer curativo. No dia seguinte à cirurgia já é liberado para lavar a cabeça e poderá voltar às suas atividades normais.

Minha fisionomia mudará com a cirurgia?
Não deverão ocorrer grandes alterações fisionômicas. Apenas haverá um melhor equilíbrio de sua calvície.

O resultado da minha cirurgia será 100% perfeita?
Nem sempre o resultado imediato é perfeito. Embora a técnica adequada, e a experiência do cirurgião, o resultado varia de paciente para paciente devido às reações orgânicas de cada um, serem diferenciadas. Geralmente estas reações representadas por: edema, pequeno derrame de sangue, perda de 10% a 30% dos enxertos de cabelo podem determinar pequenas imperfeições ou intercorrências, que poderão ser resolvidas pelo seu cirurgião através de retoques cirúrgicos após 4 meses.

As fotografias pré e pós-operatórias são importantes?
Evidentemente, a única maneira de avaliar o resultado obtido é a comparação entre as fotografias pré e pós-operatória, realizadas sob condições fotográficas idênticas nesses dois períodos.