Cirurgia plástica na adolescência: saiba diferenciar quando é necessário ou não

A adolescência é um período de transição entre a infância e a vida adulta – de acordo com o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), Lei 8.069, de 1990, a adolescência abriga a faixa etária de 12 a 18 anos de idade. É justamente nessa fase em que ocorrem as transformações no corpo e, na maioria das vezes, surgem a insatisfação com algum detalhe da aparência.

Mas pode fazer cirurgia plástica na adolescência? Não é perigoso? Não é melhor esperar mais um pouco, até os 20 anos?

De acordo com o médico cirurgião plástico, Dr. Vitor Eduardo de Menezes e Souza, sim, os adolescentes podem se submeter à cirurgia plástica. “Mas diversos aspectos devem ser previamente avaliados, pois, muitas vezes, decisões impulsivas e impensadas de correções estéticas podem induzir a problemas psicológicos futuros, fundamentalmente por não terem atingido suas expectativas imaginárias”, explica.

Acima de tudo, é necessária uma consulta médica para avaliar se a queixa de um adolescente é apenas uma vaidade ou um problema real, o qual pode precisar de intervenção cirúrgica. Dr. Vitor explica que devem ser observados os aspectos: idade ideal para correção; inserção social; estabilidade emocional; auto-estima e auto-imagem; higidez física. Os procedimentos mais realizados até os 18 anos são:

  • lipoaspiração: só deve ser indicada a pacientes que esgotaram todos os meios de correção ponderal, como exercícios, reeducação alimentar e apoio psicológico. A idade ideal para a cirurgia nos adolescentes não é uma questão crucial, devendo ocorrer, preferencialmente, após o término do estirão do crescimento em pacientes fisicamente saudáveis e estáveis psicologicamente. “O julgamento cirúrgico deve incluir as expectativas dos adolescentes em relação aos resultados finais, com ênfase na prevenção de recorrências do aumento de peso com a combinação de exercícios físicos e bons hábitos alimentares”, fala Dr. Vitor.
  • aumento/diminuição dos seios: as adolescentes cujos seios se desenvolvem muito pouco, demais, muito cedo ou muito tardese tornam ansiosas e procuram auxílio médico. “A mamoplastia redutora é indicada a pacientes que apresentem sintomas como dor nas costas e problemas posturais, por exemplo. O aumento mamário deve ser considerado para equilibrar diferenças no tamanho dos seios; corrigir uma redução do volume mamário após gravidez, por exemplo”, explica Dr. Vitor.
  • otoplastia (correção da chamada “orelha de abano”): as cirurgias de orelhas são as únicas que podem ser realizadas desde o início da adolescência, ou até antes dela, pois o crescimento do pavilhão auricular ocorre na primeira infância, até em média os cinco anos de idade.
  • ginecomastia: o aumento do tecido mamário causa grande constrangimento aos meninos. Na maioria dos casos é fisiológica e regride em um a dois anos. Em adolescentes obesos ou com sobrepeso, devemos estimular a prática de exercícios e dieta adequada. “Somente 4% dos adolescentes persistem com ginecomastia na vida adulta, e a cirurgia corretora deve ser indicada após o final do estirão do crescimento, avaliado por gráficos próprios na consulta clínica de rotina”, ressalta.
  • rinoplastia: a cirurgia plástica que remodela e/ou diminui o tamanho do nariz deve ser considerada após o final do estirão do crescimento, em média aos 14-15 anos para meninas e 16-18 anos para meninos, devendo esse término do estirão ser confirmado pelo pediatra clínico. “Para esta cirurgia, precisamos considerar o ajuste social e emocional do paciente, assegurando que a vontade de realizar a cirurgia é do adolescente, e não dos pais, por exemplo”, considera Dr. Vitor.

Ao escolher um cirurgião plástico, lembre-se de que a experiência do cirurgião e seu bom relacionamento com ele são tão importantes quanto o custo final da cirurgia. Dr. Vitor esclarece e alerta: “uma grande dica é realizar perguntas básicas ao médico: você é especialista pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica? Você é especializado em cirurgia plástica? Quantos anos de profissão em cirurgia plástica você tem? A instalação da sala de procedimento em seu consultório é autorizada pela Vigilância Sanitária de sua cidade? Estas são perguntas básicas para uma boa escolha do cirurgião plástico”, finaliza.

Deixe uma resposta