Cirurgia Plástica na terceira idade – existe limite?

Lifting facial, mamoplastia redutora, mastopexia, abdominoplastia, blefafoplastia – a terceira idade está mais vaidosa, é o que observa o médico cirurgião plástica, Dr. Sérgio Eduardo de Menezes e Souza, do Centro de Cirurgia Plástica Geminus. “Junto com o aumento da expectativa de vida, vem a vontade de se manter bem fisicamente — o que inclui disfarçar os sinais do envelhecimento”, explica.

Segundo Dr. Sérgio, os procedimentos melhoram desde a inserção no mercado de trabalho até vida sexual do paciente. Alguns dos procedimentos mais procurados nas clínicas são: a blefaroplastia (retirada dos excessos pele e gordura nas pálpebras), ritidoplastia (correção de rugas e flacidez facial), além de tratamentos de pele (rejuvenescimento cutâneo) como botox.

No caso de tratamentos para o corpo, os mais requisitados são a lipoaspiração, que atua removendo o acúmulo de gordura corporal, e mastopexia ou lifting mamário para a flacidez da mama.

Como qualquer procedimento cirúrgico, é importante a escolha de um bom profissional da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e de uma avaliação minuciosa de risco cirúrgico. De acordo com Dr. Sérgio, é necessário realizar exames e ter em mãos uma avaliação de um cardiologista, que avaliará se o paciente está ou não apto para se submeter a cirurgia proposta. “Resumindo, a paciente estando em boas condições de saúde não existe idade limite para realizar uma cirurgia plástica”, esclarece.

Se você for submeter a alguma cirurgia plástica, é muito importante procurar médicos cirurgiões plásticos que sejam especialista pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. Muito além de pesquisar custos, é importante pesquisar também o tempo de profissão do médico nesta área e as instalações da clínica e das salas de procedimento.

Deixe uma resposta