Bumbum à brasileira: gluteoplastia se mantém entre as preferidas em vários países

Fenômeno nos EUA, Canadá e em alguns países europeus, a gluteoplastia ou aumento do bumbum, continua sendo um dos procedimentos cirúrgicos mais almejado entre mulheres e com crescimento entre os homens. O formato e tamanho do bumbum da brasileira são tão desejados que, em outros países, a gluteoplastia cresceu tanto que corresponde a 10% da produção de próteses de glúteos feitas no Brasil.

A popularidade recente do aumento do bumbum aumentou por influência de celebridades, tais como Kim Kardashian por exemplo. Trata-se de uma cirurgia relativamente simples, em que uma pequena incisão é feita no sulco interglúteo, evitando cicatrizes aparentes. A prótese utilizada é de gel de silicone, semelhante às usadas em implantes mamários, porém mais espessas e que variam de formato, geralmente entre oval e arredondado.

De acordo com o médico cirurgião plástico, Dr. Sérgio Eduardo de Menezes e Souza, a prótese de glúteo é indicada para os pacientes com nádegas pequenas ou que após emagrecimento tiveram grande redução do volume, sem que houvesse ptose importante (queda do bumbum). “A cirurgia é realizada através da colocação de uma prótese de gel de silicone dentro do músculo glúteo maior. A cicatriz fica escondida no sulco glúteo (prega entre as nádegas) e de difícil percepção”, explica.

Segundo o Dr. Sérgio, é recomendável a troca periódica das próteses de glúteo para se evitar o desgaste das mesmas. Devido à crescente qualidade das próteses, estima-se que a troca deverá ser realizada em torno de 30 anos. “A anestesia utilizada pode ser a peridural ou geral e o tempo cirúrgico médio é de 3 horas”, ressalta.

Agora, se você for submeter a alguma cirurgia plástica, é muito importante procurar médicos cirurgiões plásticos que sejam especialista pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. Muito além de pesquisar custos, é importante pesquisar também o tempo de profissão do médico nesta área e as instalações da clínica e das salas de procedimento.

Deixe uma resposta